sábado

HÁ DEZOITO ANOS...


               

Há dezoito anos nascia Kaio César, um menino grande, de olhos abertos, branco como a neve e cabelos pretos. Não era gordo,na verdade nunca foi uma criança gorda.Era uma criança adorável comia de tudo e aprendia tudo muito rápido. As pessoas adoravam o seu jeitinho meigo, mas ao mesmo tempo decidido.
Geminiano nato, volúvel com os brinquedos, com as suas coleções, mas nunca volúvel com as pessoas, sempre fiel as suas amizades. Gentil com as meninas e sempre jogando charme... Com as crianças menores ele era um líder, um herói, um irmão mais velho.
Nunca precisou levar uma surra daquelas que quase todo mundo leva quando é criança, até mesmo quando precisava, quando se metia a mágico fazendo desaparecer coisas, quando se metia a pirotécnico, fazendo labaredas em objetos de casa...
Um dia quando tinha seus 14 meses, sumiu de dentro de um pequeno apartamento onde morávamos, fiquei desesperada, achando que alguém havia entrado no apartamento e raptado meu filho, me culpava por ter o deixado na sala sozinho enquanto esquentava sua mamadeira, depois de uma hora de desespero  perguntando a vizinhos, ouvi um barulho vindo de baixo da minha cama, e para minha surpresa, La estava meu tesouro, dormindo abraçado a sua bola. Esta foi a 1ª vez que meu coração quase saiu pela boca.
 O criei sozinha, sempre correndo atrás para que nada faltasse a ele. Acho que  fiz um bom papel como mãe e como pai.
Quando ele completou  seus cinco anos, conheci uma pessoa muito especial, logo após uns oito meses de namoro, o apresentei ao meu filho e eles se deram bem de cara, e isso foi fundamental para que este namoro desse certo e este homem se tornasse o que é hoje, meu marido e pai do meu filho.
Hoje meu filho tem em seu registro o sobrenome dele, meu marido entrou com um pedido de adoção do Kaio César.
Para meu filho isso foi muito emocionante, ele sempre quis ser reconhecido de direito, como sendo filho do meu marido. Ele ficou muito feliz.
Quando nós compramos nosso próprio lar, um apartamento pequeno dentro de um condomínio muito grande de prédios simples, ele logo tratou de fazer novas amizades, o que para ele nunca pareceu ser uma barreira sempre fez amizade rápida e sempre as cativou muito bem. Todos gostavam e ainda gostam muito dele. Em um belo dia de domingo, perto da hora do almoço, ele devia ter seus oito anos de idade, ele se enfiou na casa de um dos seus amigos e esqueceu-se da vida. Eu e meu marido (a propósito o nome dele e Fábio) ficamos feitos loucos por mais de 1 hora procurando por ele, em todos os cantos eu gritava o nome dele, em todos os prédios eu entrei gritando o nome dele e ele não aparecia, só depois de duas horas ele apareceu, eu já em prantos sentada na escada do meu prédio com a companhia de vizinhos e copos de água  é que ele apareceu. Está foi a 2ª vez que meu coração quase saiu pela boca. Graças a Deus nada de ruim lhe acontecerá.
O tempo foi passando, o menino se tornou um adolescente e o adolescente  está se tornando um rapaz, homem lindo por dentro e por fora e está completando nesta semana sua maior idade.
Continua amado por todos, continua geminiano nato volúvel com seus jogos de play Station, volúvel com seus aplicativos, mas nunca volúvel  com seus amigos e sua namora.
Continua bancando o mágico, graças a Deus parou de bancar o pirotécnico.
Toda vez que olho pra ele, vejo o quão importante ele é para minha vida, ele faz parte da minha vida, ele apesar de ser meu eterno bebê, é também como meu irmão mais novo, porque cresceu comigo, nós aprendemos a crescer juntos e ainda estamos aprendendo.
Feliz aniversario meu bebê. Que Deus nos conceda vida longa para que possamos juntos aprender uma série de coisas que ainda temos pra viver.
TE AMO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

QUER COMENTAR ESTE POST?

VOCÊ SABE QUE DIA É HOJE?

MEU ARQUIVO